Destaque da Semana

Revenda Semi Joias em Consignação

 A Meu Visual Joias e Semi Joias oferece a você uma grande oportunidade de negócio!!! Você deve estar se perguntando: "O qu...

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Riscos e Ciladas no Marketing Multinível

Olá Leitores, nesse post vamos falar sobre as Pirâmides e as promessas de Dinheiro Fácil.

A primeira coisa que você deve saber é que segundo as legislações brasileira e estrangeiras, para ser uma empresa de MMN legítima, a empresa deve oferecer um produto. A avon é uma empresa de MMN, sabiam? Creio que não. A Natura também é, Mary Kay, Polishop, e muitas outras... Todas elas oferecem um produto que será vendido pelo seu representante, consultor, revendedor, seja lá qual for a denominação dada pela empresa.

Quero que fique claro para vocês o porque que a empresa deve oferecer um produto. Para caracterizar uma compra/venda. Você paga a empresa e recebe produtos de acordo com o valor que pagou. Você é um cliente, só que é um cliente que recebe bônus por indicar outros clientes. Entendeu? Assim a empresa não tem nenhuma obrigação com você. Você pagou por um produto e recebeu ele. Então a empresa não lhe deve nada. É o famoso "Toma lá, dá cá"

Aí é que começa nosso tema de hoje. Muitas empresas usam o termo "INVESTIMENTO" e isso gera uma sensação igual a quando você coloca seu dinheiro na poupança do Banco. Parece que a empresa deve algo a você. Empresas Conceituadas e conhecidas até parcelam o tal investimento. 
Só que Marketing Multinível não é um negócio de investimento, mas sim um negócio de vendas. Num negócio de investimento, em maior ou menor grau, existe um risco. E nos esquemas piramidais disfarçados de MMN também! Mas num Marketing de Rede legítimo não deve haver risco: é, como já falei, “toma lá, dá cá” e estamos quites.

Vou usar como exemplo de empresa idônea em Marketing de Rede a Meu Visual Joias e Semi Joias. Eu sou consultora de vendas dessa empresa e posso afirmar que não há como você perder dinheiro com ela. A Meu Visual usa o sistema de consignação de peças, ou seja, você pega as peças sem pagar nada e vende. Depois de 35 dias com o estojo de joias você faz o seu acerto e paga pelo que vendeu. Nesse caso quem assume o risco é a empresa. Entenderam? Não há investimento, não há riscos para você.






 O que é uma Pirâmide? É possível ganhar dinheiro com esse sistema?






Ok, vamos lá. Eu não vou vir com todo o blá blá blá que você já sabe, pois basta uma rápida busca no Google para você encontrar a história de Charles Ponzi e entender o que inicialmente ficou conhecido como “esquema de Ponzi”.

O que quero que você perceba aqui é que o que o Charles Ponzi criou foi um esquema de promessa de ganhos sobre o capital que as pessoas depositavam nas mãos dele, ou seja, um “negócio” de investimentos e não de vendas, como deve ser o marketing multinível. Assim também foi com o maior golpe da história, o do americano Bernard Madoff, que prometia retornos impossíveis em qualquer outra aplicação aos seus investidores. Note: investidores!

Investir e esperar o retorno, sem ter que fazer nenhum trabalho, era o que eles diziam.  
Nesse tipo de esquema não há lucro. É dinheiro correndo atrás de dinheiro. É algo sem durabilidade, sem sustentabilidade e com os dias contados. E justamente por essa ideia de quebra da estrutura, esses esquemas financeiros também já foram chamados de “correntes” ou “correntes da alegria”, de uma forma mais simpática.

Remetendo também à ideia de que se um dos elos da corrente partissem, tudo estaria perdido. E para mostrar esse tipo de vulnerabilidade em uma pirâmide disfarçada de marketing multinível eu poderia dar o seguinte exemplo: Uma pessoa fala para você que em um mês a empresa dela  já tem 10 mil pessoas na rede.
Só que para fazer parte da REDE da tal empresa era preciso pagar R$3.000,00 pelo seu pacote básico de adesão e havia a promessa de ganhos de R$1.000,00 por mês, durante um ano, para cada pessoa que se associasse, independente de se essas pessoas iriam gerar mais vendas para a empresa ou não. Então eu fiz a seguinte conta: se entraram 10 mil pessoas, pagando 3 mil reais, a empresa tem em caixa 30 milhões de reais. Uau, uma boa grana!

Mas se ela prometeu que cada associado receberia um valor fixo de 1.000 reais por mês, durante um ano, quer dizer que ela devia a cada pessoa 12 mil reais. Ou seja: 10 mil pessoas vezes R$12.000,00 é igual a 120 milhões de reais. E aí, os 30 milhões que estavam no caixa já não são tanto dinheiro assim. Não tem como pagar uma dívida de 120 milhões com apenas 30 milhões. E agora?

A esperança desse “negócio”, como de toda pirâmide financeira, é de que pessoas continuem entrando. Havia uma dívida, só que ela deveria ser paga ao longo de um ano. E como já no início muitas pessoas estavam exibindo ganhos astronômicos, a “empresa” contava que esses resultados atraíssem muito mais gente para o negócio. O problema é: depois de um ano a dívida seria muito maior…

Então esse é o significado de pirâmide financeira: um esquema financeiro que atrai dinheiro sob a promessa de ganhos maiores do que o mercado oferece, e que se sustenta pela adesão de novas pessoas e não por um lucro real. E que por isso é insustentável.
Ou seja, é um esquema onde o dono quer “botar dinheiro pra dentro” sem fazer conta de se no fundo está ganhando ou perdendo. E, acredite, hoje em dia é muito fácil criar uma empresa de fachada que faça esse tipo de esquema passar por um marketing multinível legítimo.
Minha dica? Não olhe apenas para o montante de dinheiro que sua empresa de MMN movimenta, mas sim para o quanto fica pra ela. Não pense tanto no quanto ela paga aos distribuidores, mas sim em quanto ela retém pra si.

“Perder dinheiro” é o marketing das pirâmides. Ganhar dinheiro é o negócio das empresas sérias de marketing multinível que irão lhe proporcionar uma renda residual por anos. Resumindo: quando a esmola for grande demais, faça como o cego e desconfie. Melhor, fique cego para essas promessas.
Em contrapartida, se você tem convicção de que sua empresa oferece valor ao mercado, ganha dinheiro com isso e é um MMN legítimo, não tema as ponderações dos outros. Faça o que tem que ser feito e desfrute do resultado de seu esforço!



 Por que as pessoas acham que o Marketing Multinível é sinônimo de Dinheiro Fácil?




 
Primeiramente, gostaria de deixar claro que não existe facilidade nenhuma no marketing de rede.
Agora, se você está disposto a entender o porquê de eu estar afirmando isso, continue lendo.

O “marketing” do multinível é que transmite facilidade

Não existe facilidade nenhuma. O que acontece é que quando um convidado vai numa reunião de marketing de rede, a apresentação que ele verá provavelmente será feita por alguém que já tem sucesso, por alguém que já “chegou lá”.

E como no MMN, pessoas são remuneradas pelo sucesso de outras pessoas, então os distribuidores de sucesso contam, nada mais, nada menos, que suas histórias de sucesso, afim de inspirar os novatos à galgarem o mesmo.

Mas essas pessoas que hoje tem sucesso já ralaram muito e trabalharam duro. E hoje sabem que se alguém tivesse lhes dito tudo o que iriam passar para chegar aonde estão, talvez tivessem desistido antes mesmo de começar.

Elas entendem de gente, porque aprenderam sobre gente enquanto desenvolviam seus negócios. E sabem que “gente” busca caminhos mais fáceis. Sabem também que seu trabalho é “psicologia pura” e que se não falarem o que as pessoas querem ouvir, indivíduos de grande potencial podem ser desperdiçados se confrontados com a dureza e com o trabalho que terão pela frente. Assim é o ser humano.

Por isso é normal que apenas os aspectos positivos sejam ressaltados nas reuniões. Mas em que setor o marketing das empresas promovem seus aspectos negativos em detrimento dos positivos? Em nenhum, não é mesmo!?

Se há imagens de pessoas enfermas nas carteiras de cigarro, saiba que isso é por imposição das leis. As empresas de cigarros adorariam poder continuar a promover apenas as belas paisagens que instigava os cowboys de Marlboro fumar mais e mais.
E assim é com qualquer empresa, com qualquer mercado: apenas os pontos positivos são evidenciados. Esse é o trabalho dos departamentos de marketing. E é isso que o pessoal de marketing do marketing multinível aprendeu que funciona: evidenciar os pontos positivos.
Infelizmente, algumas pessoas não compreendem a palavra “marketing” – ou a confundem com facilidade.

Outro aspecto do MMN que alimenta essa ideia de facilidade é o fato de no mercado tradicional nenhum empresário ficar falando o tempo todo o quanto está ganhando dinheiro, que está ficando rico, etc. Pelo contrário, quando alguém encontra um nicho de mercado promissor, o que essa pessoa mais deseja é que ninguém saiba que ele existe, afim de que não surja concorrência.

No mercado tradicional prevalece a individualidade. É cada um por si! Ninguém é remunerado pelo sucesso alheio. E é um choque cultural quando alguém vê um líder de uma rede multinível contando sua história, seu sucesso. Parece realmente uma arapuca. A sociedade não está acostumada com isso.
Desde que somos pequenos, entendemos que para alguém ganhar algo, outro alguém terá que perdê-lo. Não faz muito sentido um sistema onde pessoas possam sair ganhando em conjunto. Onde uns torçam pelo sucesso do outro.

A questão é que isso é possível e essa é justamente a incompreendida essência do marketing de rede. Então essa é minha opinião: a falta de compreensão gera a falsa impressão (de facilidade). Tudo é uma questão de pré-conceito!

Nenhum comentário:

Postar um comentário